Feeds:
Posts
Comentários

Chegou a grande hora em que o Esporte Social faz a mudança de endereço para melhor comodidade daqueles que ajudam clicando, e lendo esse site/blog.

A mudança somente administrativa para facilitação de memorização do endereço o qual será mantido até abril de 2011.

O conteúdo não vai mudar apesar da string .com e o site vai continuar sem qualquer tipo de anunciante, post patrocinado, link patrocinado e afins por motivos ideológicos do site; o qual acredita que quem tem dinheiro para patrocinar um site ou um link patrocinado em um blog, tem dinheiro suficiente para gastar em projetos sociais que servem de grande valia para a nossa sociedade.

Os posts antigos irão permanecer até 30 dias, e nesse espaço as atualizações irão continuar nos dois endereços e após esse tempo somente terá postagens novas o novo site !

A nova casa do Esporte Social agora é www.esportesocial.com

cover

Este DVD é um vídeo de preparação On-Contest do Shawn Ray para o Mr. Olympia de 1998 e foi lançado no mesmo ano. Começa o filme e ele começa a falar um pouco de seus concorrentes, e da importância de ser um MrO. na sua vida. Enquanto isso ele faz uma imagem de comparativo com a que veremos no final do vídeo, para fazer o antes e o depois; e então se inicia a parte boa os treinamentos.

Esta parte do vídeo começa um treino de pernas, onde dá para se notar que existe uma ótima variação em seus exercícios de pernas, e mostra que ele é um forte adepto do treino com pesos livres e tradicionais com séries de agachamentos. Logo depois ele apresenta uma variedade muito interessante em seus nutrientes pós-treino como diversos legumes, e uma divisão muito clara de carboidratos, proteínas, em e a sua preocupação em poupar-se da gordura, em uma clara preocupação para com a sua Body Fat! Há uma preocupação em atletas desse nível no tocante a alimentação – essa tão negligenciada pela a maioria dos atletas desde baixo nível até auto-rendimento – e em uma aula de disciplina ele mostra que é bem rústica e rotineira a alimentação de um Bodybuilder.

shawnray1

Após isso, ele explica um pouco sobre as sungas utilizadas em competição, e também sobre o óleo que é tão utilizado e que serve para auxiliar no processo de bronzeamento quanto para destacar os cortes musculares (separação e definição) On-Contest. Apos alguns vídeos de convenções sociais, Shawn vai para o seu habitat que é a Powerhouse Gym com um treino de costas, sempre utilizando o máximo de intensidade e com pesos livres. Um fato interessante é que conforme a sua rotina se aperta mais em decorrência da aproximação do concurso ele começa a utilizar Drop-Sets para atingir o máximo de intensidade ao término de cada série. Após o treino, ele começa a entrar em um assunto muito importante que é a suplementação alimentar onde ele ressalta a importância de se ter uma variação alimentar com relação a fontes de vitaminas entre outros, bem como o destaque em seus suplementos alimentares que o ajudam a maximizar os resultados obtidos em treino.

Depois dessa explanação, ele começa o treino de peito, sempre com o seu tradicional supino com halteres, e uma curiosidade é que ele utiliza ortoses em ambas as mãos, parecidas com luvas de motoqueiro, e que servem para provavelmente aliviar as terríveis dores nos pulsos devido à pressão dos pesos sobre os pulsos. Shawn começa a fazer um pequeno treino de poses para colocar em destaque seus pontos fortes, e fazer uma auto-avaliação dos resultados dos treinos. Já neste momento do vídeo é nítida a mudança no corpo de Shawn via alimentação, treino, suplementação e descanso. Shawn Ray explica a torturante rotina pré-contest que ele se reserva a consumir o mínimo de água e carboidratos, e durante algumas poses é quase incrível o nível de definição onde se destaca a definição de suas costas com a apresentação do estriamento muscular dessa região e uma retenção hídrica nula.

Esse não é um vídeo de tipicamente de treinos, dietas, nem apresentação de exercícios os formulas mágicas de se ganhar o MrO., mas sim um vídeo que mostra um pouco da rotina de um Bodybuilder que por sinal é uma das mais duras esportivamente falando, pois envolve uma série de fatores muito fortes como predisposição genética, treinamento, força de vontade, disciplina,e principalmente alimentação e suplementação sadias.

shawnray25

Títulos de Shawn Ray

1983 Orange Coast Championships–2nd Short
1983 California Gold Cup–1st Overall
1984 Mr. Los Angeles NPC–3rd Middleweight
1984 Mr. Teenage Los Angeles AAU–1st Short & Overall
1984 Teenage Mr. California –1st Middle & Overall
1984 Teenage National Championships–2nd Middleweight
1985 Teenage Mr. Orange County–1st Short & Overall
1985 Teenage National Championships–1st Lightheavy & Overall
1985 Jr. World Championships–1st Lightheavy & Overall
1986 Jr. National Championships–2nd Lightheavy
1987 Mr. California–1st Lightheavy & Overall
1987 National Championships–1st Lightheavy & Overall
1988 Mr. Olympia–13th Los Angeles
1989 Inactive
1990 Pro Ironman Champion–1st Redondo Beach
1990 Arnold Classic–1st (disqualified) Ohio
1990 Mr. Olympia–3rd Chicago, IL
1991 Arnold Classic–1st Ohio
1991 Mr. Olympia–5th Orlando, FL
1992 Mr. Olympia–4th Helsinki, Finland
1993 Mr. Olympia–3rd Atlanta, GA
1994 Mr. Olympia–2nd Atlanta, GA
1995 Mr. Olympia–4th Atlanta, GA
1996 Pro Ironman–3rd Redondo Beach, CA
1996 Arnold Classic–5th Columbus, OH
1996 Mr. Olympia–2nd Chicago, IL
1997 Mr. Olympia–3rd Los Angeles, CA
1998 Mr. Olympia–5th New York, NY
1999 Mr. Olympia–6th Las Vegas, NV
2000 Mr. Olympia–4th Las Vegas, NV
2001 Mr. Olympia–4th Las Vegas, NV

Pics:

pics

Em um dia que começou ensolarado, em questão de minutos o tempo virou; e o que era um belo dia ensolarado virou quase um caos por causa de eminência de uma chuva; e esse foi o cenário que eu visitei nesta sexta-feira 13 o Parque da Juventude em Santana para uma olhada de perto o complexo de quadras esportivas.

O complexo de quadras do Parque da Juventude são compostos de 2 quadras (montadas com poste e rede) e mais 3 quadras poliesportivas que podem ser montadas (a administração do parque fornece a rede e os postes para a montagem).
Não posso deixar de falar sobre o parque em si que é muito grande, e que tem uma ótima área verde, boa para fazer passeios, e tirar um dia para descansar nos banquinhos espalhados pelo o parque.

Há muitas quadras para a prática de diversas modalidades no parque (ao todo são mais de 12 quadras, entre poliesportivas, de basquete, e uma pista de skate, sendo essa última essa muito disputada.

Mas vamos às quadras de tênis.

QUADRAS MONTADAS
Ao um primeiro momento, quando vi a área das quadras, tive a sensação de estar em um local que pode ter uma estrutura muito grande para receber eventos, dado o tamanho espaço para o fluxo de pessoas, e das acomodações.

A quadra 01 apresenta uma manutenção no quesito limpeza (já que não precisa de nivelamento), pois, até mesmo os serviços de acordo com a área do parque são segmentados de forma em que sempre há um funcionário da limpeza e da segurança em muitos lugares do parque.
Um fator que não se pode deixar de lado são as enormes áreas de escape. Para se ter uma idéia, em determinados ângulos não se consegue fazer um foco legal para se tirar fotos; o que é ótimo para corredores de quadra. Entretanto, essa mesma área de escape, por ser tão grande é de extrema importância ter pegadores ou um estoque de bolinhas para se jogar porque com uma para uma área dessas, rapidamente as bolinhas escoam para a área de escape atrasando o jogo.

Com um piso asfáltico colocado pela a Playpiso, não vi nenhuma observação mais séria com relação ao piso, a não ser que o mesmo tem um poder de secagem muito bom (as fotos foram tiradas em um intervalo de no máximo de 20 minutos, e a diferença pode se notar nas fotos).
A quadra 01 é uma quadra muito rápida pelo o tipo de piso, então não esperem um jogo com mais de que 4 trocas de bola por ponto. Uma observação fica no que diz respeito a área de espera e expectadores que tem muita pouca sombra, o que faz com que as pessoas tenham que se esconder na área das mesas.
Outro detalhe de uma importância muito grande que não vem sendo atentada é uma rampa que dá acesso a carros. Digo isso pelo o simples fato no qual o tenista pode a ter um desmaio, ou mesmo lesões ortopédicas que não seja possível a sua remoção imediata, ou mesmo a sua mobilização pode trazer conseqüências danosas a sua saúde.A quadra apresenta uma boa marcação, e pode ser um bom programa para quem gosta de jogar em quadras rápidas.

Já a quadra 02, teve alguns detalhes que eu penso que pode criar problemas com a jogabilidade que é a marcação com uma quadra poliesportiva. Dentro disso eu faço as seguintes observações:
– Marcação com quadras de outros esportes: Isso favorece muito os espertinhos que gostam de ganhar pontos no grito, e isso atrapalha muito a diversão.
– Buracos de traves não calçados: Se tem buracos na quadra, nada mais lógico do que fechar esse buracos (das traves) com algum calçamento a fim de evitar acidentes.
– Área de escape grande, mas sem parede de rebote: O que vai necessitar de um pegador para não atrapalhar o andamento do jogo.
Para quem for passear, recomendo que em dias de chuva, ou com eminência de raios, abrigue-se rapidamente, pois, o parque além de ter muitas árvores, ser bem aberto, tem uma rede de distribuição bem ao lado o que pode ocasionar acidentes com raios. A dica é: começou a aparecer raios, corra e abrigue-se.
No geral o parque é ótimo para quem quer uma opção de quadras rápidas em SP, além do ótimo acesso (em frente à estação Carandiru do Metrô) e tem algumas vagas do lado de fora do parque. E para quem quiser fazer um lancha antes dos jogos, tem uma lanchonete dentro do complexo de quadras, que praticam preços bem justos.

dsc00011

dsc0005

dsc00061

dsc00161

dsc00181

dsc00191

dsc00201

dsc00212

dsc0022

dsc0023

dsc0025

dsc0030

dsc0035

dsc0037

dsc0038

dsc0045

dsc0048

dsc0050

AVALIAÇÃO GERAL – QUADRA 1

SUPERFÍCIE: Asfáltica

QUALIDADE DO PISO: 4 (Piso muito veloz, e bem conservado e limpo)

MARCAÇÃO: 5 (Nenhuma observação específica)

ÁREA DE ESCAPE: 5 (Perfeita, muito grande mesmo, mas necessita de pegadores para não estragar a diversão)

ÁREA DE ESPERA: 4 (Tem espaço para expectadores, mas peca pela a falta de sombra)

MANUTENÇÃO: 4 (A não ser por falta de cuidados na rede (não tem fita central) não compromete)

PRÓS: Parque manutenido, ótima área de escape, e com refletores para jogos noturnos.

CONTRAS: Falta de sombra, a necessidade de pegadores, e área de escape aberta ao fundo..

CONCEITO GERAL: 4,5


AVALIAÇÃO GERAL – QUADRA 2

SUPERFÍCIE: Asfáltica

QUALIDADE DO PISO: 4 (Algumas imperfeições, mas nada que possa a causar prejuízos na diversão)

MARCAÇÃO: 1 (Duplas linhas, e a marcação da quadra poli estraga se houver a presença de garfadores)

ÁREA DE ESCAPE
: 3 (Regular, mas com abertura ao fundo o que necessita de pegadores)

ÁREA DE ESPERA: 4 (Bom espaço para quem quiser assistir e jogar, necessita de sombra)

MANUTENÇÃO: 3 (Falta fita central na rede)

PRÓS: Limpeza, e área de espera.

CONTRAS: Falta de sombra, a necessidade de pegadores e marcação confusa.

CONCEITO GERAL: 2,8

Entrada do Parque Esportivo
Endereço:Av. Zaki Narchi, nº 1309

Entrada do Parque Central
Endereço: Av. Ataliba Leonel, 500

Entrada Parque Institucional
Endereço: Av. Cruzeiro do Sul, 2500
Santana – São Paulo – SP (alterar o nº, que é 2.630)

Telefone: 2251-2706
Dias úteis das 8h às 18h

Atendimento e Funcionamento da administração:
De segunda a sexta das 08 as 18h.

Funcionamento:
Área central – de segunda a domingo das 6 as 21:30h.
Área esportiva – das 6h as 24h de segunda, 6h as 2h de terça a sábado, 6h as 23h nos domingos.
Estacionamento grátis somente pela Av. Zaki Narchi,1309.
Metrô: Estação Carandiru

Em um calor infernal da cidade de São Paulo, e mais uma sexta-feira (6 mar 09) realizei uma visita em mais um complexo de quadras de tênis gratuitas, agora no bairro de Pirituba na Zona Oeste de São Paulo.

Estas duas quadras ficam alojadas no Parque Municipal Parque Jacintho Alberto, e conta com duas quadras de saibro bastante regulares, que não há parâmetros para diferenciar ambas por tão bom o grau de conservação.

No parque além das quadras, há uma estrutura boa que contém uma pista de Cooper, pista skate, diversas mesas para xadrez, quadras poliesportivas, e uma ampliação de uma cancha de bocha. Nota: Todas em bom estado de conservação. Mas vamos ao nosso assunto principal que são as quadras de tênis.

QUADRAS DE SAIBRO

Apesar de anteriormente assumir que sou contrário as quadras de saibro, a primeira vista deu muita vontade de jogar nesta quadra tal o estado de conservação da mesma. Nivelada, limpa, e com até penduradores de raquetes inclusos.

Uma quadra de um pó de tijolo muito fino (que este que vos escreve testou o quique da bolinha, e constatou que esta freia bem mais com esse tipo de piso. Um dos pontos que eu achei interessante que este pó de tijolo, tão fino, deixa a quadra extremamente lenta, o que é uma ótima opção para quem está começando e que quer desenvolver as técnicas de golpear a bola, ou para jogadores que gostem de trocas longas de bola.

Em contrapartida, para pessoas que gostam de colocar bolas anguladas, ou mesmo gosta de tentar winners de todos os lugares da quadra, uma partidinha pode virar uma procissão infinita de trocas de bola, onde provavelmente o jogo se definirá pela a exaustão de um dos jogadores.
dsc00211

dsc0020

dsc0019

dsc0018

dsc0017

dsc0016

dsc0015

dsc0014

dsc0013

dsc0012

dsc00121

dsc0011

dsc0008

dsc0007

dsc0006

dsc0004

dsc0003

dsc0001

A manutenção é bem efetiva e constante, pois, há funcionários do parque que regularmente nivelam o pó de tijolo, e abaixam a poeira com água. (NA: Esse sistema de irrigação poderia ser feito com água de re-uso, mas isso é uma sugestão).

Dentro das quadras há dois bancos de espera, com quatro lugares cada, porém, são descobertos, o que em outras palavras pode virar um calvário tendo em vista a demora na definição dos pontos em uma determinada partida. Uma coisa que me chamou a atenção, foi a fita de marcação;. Em determinados lugares ela parece estar um pouco “acima” do nível do solo, o que pode gerar acidentes como um tropeço, mas nada que estrague a diversão. E ainda sobre a quadra, reparei que o pó de tijolo é fino, mas há presença de argila em pó misturada na composição que deixa a mistura mais fina.

O ideal para quem vai jogar nessa quadra é levar bastante protetor solar nos dias de sol forte, e torcer para que as partidas terminem rápido, pois, há uma grande deficiência de árvores no local (devido ao parque ser uma área antiga da prefeitura que foi totalmente reformada). O parque apresenta uma boa rede de bebedouros e a administração do parque é bem acessível para sugestões, criticas e reclamações. O parque fica a 7 minutos da estação de trem Pirituba e do Terminal de ônibus Pirituba.

E dentro disso, chego à conclusão que essa sem sombra de dúvidas é uma das mais bem cuidadas quadras grátis de SP, boa manutenção, boas instalações e um ótimo ambiente sem poluição. Imperdível.

AVALIAÇÃO GERAL

SUPERFÍCIE: Saibro

QUALIDADE DO PISO:  4 (Piso extremanente lento pela a possível presença de pó de argila, e pela a finura no pó de tijolo )

MARCAÇÃO: 3 (Não prejudica, porém na área do “T” da quadra 1 pode ocasionar acidentes, devido a soltura da quadra )

ÁREA DE ESCAPE: 3 (Muito boa, mas tem bancos de concreto que podem prejudicar a segurança)

ÁREA DE ESPERA: 3 (Esperar um jogo lento, sob o sol a pino sobre a cabeça é uma missão árdua. )

MANUTENÇÃO: 5 (Filtragem, nivelamento, e resfriamento da quadra excelentes, e funcionários dedicados para executar essa função, além de ser um ambiente (o parque no geral) ser muito bem limpo)

PRÓS: Nivelamento, Filtragem do pó de tijolo, 8 pessoas por quadra para espera, parque muito bem manutenido.

CONTRAS: Falta de sombra nas áreas de espera, piso extremamente lento, marcador de uma quadra solto.

CONCEITO GERAL: 4

Parque Municipal Jacintho Alberto

Rua Talófitos, 16 – Jardim Cidade Pirituba.

Telefone: 3994-0947.

As quadras esportivas requerem medidas mínimas, ter o piso adequado ao esporte praticado e, se necessário, dispor de boa iluminação. Recomenda-se sempre a contratação de assesoria especializada, já que aspectos como localização do terreno, piso ideal, sistemas de drenagem e iluminação são decisivos.

O primeiro ponto a considerar é o terreno. Caso ele sofra apenas um corte, a terra deverá ser bem compactada, com a ajuda de um rolo pequeno. Já as áreas aterradas exigem a compactação feita por máquinas mais pesadas, como trator de esteira. Se o aterro não for bem feito, o piso poderá futuramente apresentar trincas e ondulações.

Também a umidade pode trazer sérios problemas. Se a área tiver sido banhada por um córrego, o ideal é fazer um sistema de drenagem tipo “espinha-de-peixe”, com aproximadamente 4 polegadas. Para os terrenos situados em vales ou áreas baixas, é possível fazer uma vala de 30cm de largura com 1 metro de profundidade ao redor da quadra, numa distância de 50cm, revestida com argamassa de cimento e areia e ter, embutida no fundo, uma meia canaleta de escoamento, com largura entre 15 a 30cm, conforme a declividade do terreno, e saída para a rede de esgoto.
Com exceção da quadra de saibro, que já é autodrenante, as demais têm piso impermeável, o que obriga que a superfície tenha 1% de caimento para todos os lados, facilitando o escoamento das águas pluviais e evitando a formação de poças.
Para a implantação de quadras descobertas, deve-se posicioná-las no eixo Norte-Sul (ou o mais próximo possível dele), em função do ofuscamento provocado pelo sol.

O piso da quadra e a textura do acabamento são muito importantes, podendo interferir bastante no desempenho dos jogadores. Os principais tipos são:

Saibro – ideal para tênis, sua execução requer muitos cuidados. A construção deve ser feita em terrenos planos, bem compactados e, de preferência, de composição argilosa. O primeiro passo é fazer uma moldura com blocos de cimento e cinta de concreto na medida da quadra. Ela deverá ter 30cm de altura e ficar parcialmente enterrada. No fundo dessa moldura é espalhada uma camada de 20cm de altura de cacos de tijolo, que deve ser muito bem compactada com a ajuda de água. Em seguida, cobre-se o espaço com uma camada de 20cm de saibro misturado com argila e terra vermelha. Depois de compactada com um rolo pesado, deve-se abrir pequenas valas e fazer sapatas de concreto nos locais onde serão fixados os postes de sustentação da rede. Por fim, espalha-se o pó de telha, o que facilita a movimentação dos jogadores. Deve-se prever caimento de 0,5% nas laterais. A autodrenagem demora cerca de 8 horas. As obras duram aproximadamente 6 semanas. Se a quadra for construída em terrenos irregulares, aterrados, de pouca firmeza ou sobre lençol freático, deve-se prever o contrapiso, o que acarreta a necessidade de um sistema de drenagem.
A manutenção do saibro é bastante trabalhosa. São necessárias freqüentes reposições do pó de telha da superfície, é preciso molhá-la para mantê-la sempre úmida, garantindo a maciez do piso, a firmeza do solo e evitando que o vento levante nuvens de pó. O ideal é varrer e molhar a quadra duas vezes ao dia.

Cimentado – sua execução é simples: sarrafos de madeira, de 10cm de altura x 2,5cm de largura, são dispostos na forma de quadrados de 2 x 2m sobre um lastro de pedra nº 2 com 5cm de altura. Esses quadrados devem ser preenchidos diagonalmente por uma camada de concreto de 8cm de altura. Após a cura de 24 horas, os sarrafos são retirados e o espaço vazio é preenchido por concreto ou asfalto. O acabamento tem, em média, 2cm de espessura e pode ser feito com argamassa de cimento e areia quando se tratar de quadras descobertas, ou por pó de cimento, se a quadra for fechada. A demarcação é feita com tinta acrílica resistente à abrasão. Deve-se considerar que o cimentado não absorve o impacto dos movimentos dos jogadores.

Asfáltico – de fácil construção, pode ser usado para quadras de quase todos os esportes. Sobre uma base de pó de pedra é colocada uma camada de 5cm de pedra nº 1. Em seguida, uma camada de emulsão asfáltica e outra de pedriscos com altura entre 3 a 5cm. Por fim, uma nova camada de emulsão asfáltica e de 2 a 5 demãos de resina sintética. No caso de quadras de tênis, o acabamento da última demão deve ser áspero, para que o pique da bola seja mais lento. A construção demora 2 a 3 semanas. Como manutenção, a resina sintética deve ser substituída a cada 5 anos nas quadras abertas e a cada 8 anos nas fechadas. O escoamento da água demora de 15 a 20 minutos.

Areia – própria para futebol society e peteca, deve ser construída sobre um contrapiso. Um dreno “espinha-de-peixe” de 4 polegadas deve ser previsto. Serão aplicadas uma camada de 15cm de espessura de pedra nº 2, uma camada de 10cm de pedra nº 1 e, finalmente, 10cm de areia, no mínimo. A manutenção consiste em alisar a camada de areia com uma rede velha.

Madeira – usada somente em quadras cobertas, é ideal para squash ou quadras poliesportivas. As espécies mais indicadas são o ipê e o pau-marfim. As tábuas devem ter 5cm de largura x 2,5cm de espessura. Elas são flutuantes, ou seja, fixadas em barrotes no sentido longitudinal, distantes 50cm um do outro. O espaço vazio entre eles pode ser preenchido com placas de chapas de madeira ou com poliestireno expandido. O acabamento é em verniz de poliuretano e as demarcações são feitas com tinta epóxi.

Emborrachado – existem dois tipos: fundido no próprio local ou industrializado. O primeiro consiste numa camada de borracha espalhada sobre o asfalto ou cimento com a ajuda de uma espátula. Na quadras fechadas, sua espessura é de 6mm; nas abertas, varia de 6 a 12mm. Requer manutenção a cada 5 anos, em média. O industrializado é encontrado em rolos e é fixado sobre uma base de asfalto ou cimetno com cola de poliuretano. A manutenção demora 20 anos. Encontradas em várias cores, são próprias para tênis, badminton e quadras poliesportivas. Se a quadra tiver apenas finalidade recreativa, não é preciso seguir as medidas oficiais, bastando manter a proporcionalidade. Já a demarcação do piso não deve ser alterada. Ela deve ser pintada sobre um piso de cor neutra, como verde, amarelo ou cinza. De acordo com as normas internacionais, cada esporte tem cores determinadas para marcação das medidas: o branco é usado para tênis, vôlei, badminton, squash e paddle, o amarelo, para handebol e o azul, para basquete. No caso das quadras de saibro ou areia, a demarcação pode ser feita usando fitas especiais, vendidas em lojas de artigos esportivos, que são fixadas com a ajuda de pregos de 10cm de comprimento. Outra possibilidade é abrir pequenas valetas no lúgar das linhas de demarcação e preenchê-las com uma tira de concreto de 5cm de largura. Depois é só pintar com tinta acrílica especial para cimentado. As quadras de areia também podem ser demarcadas com uma simples pintura a cal.

Quanto à iluminação, recomenda-se que profissionais especializados façam o cálculo. Um projeto simples e mínimo para uma quadra poliesportiva consiste em 8 luminárias dispostas em 4 postes, com altura variando de 6 a 8 metros, e lâmpadas de mercúrio de alta pressão de 400W.
O fechamento com alambrado deve estar situado a uma distância mínima de 2 metros da quadra.

Fonte: Revista Arquitetura & Construção – ago/93.

O Centro Educacional e Esportivo Edson Arantes do Nascimento, mais conhecido como “Pelezão” para realizar uma visita às quadras de tênis disponíveis no local.

No Centro Esportivo há duas quadras de tênis gratuitas e descobertas, uma de saibro e outra de cimento. O complexo de quadras também possuí um paredão para aquecimentos ou exercícios e uma área conservada com presença de lixeiras para coleta seletiva e bebedouros conservados e limpos. Vamos a uma análise sobre as quadras propriamente ditas.

QUADRA DE SAIBRO ( QUADRA 1)

Apesar de não ser um adepto desse tipo de superfície, me surpreendeu o estado de conservação da quadra em si apresentando poucas imperfeições mesmo com uma chuva muito forte que caiu sobre a quadra cerca de 18 horas antes. Um piso bastante regular, com uma pequena observação negativa sobre as fitas de marcação que estão quase que no tom da quadra, o que indica que necessita de uma troca; mas nada muito urgente.

A manutenção da quadra é feita geralmente após as aulas de professores da prefeitura que mantém um projeto de iniciação no esporte para crianças, jovens e adultos, e conta com um rolo nivelador e tela para auxiliar na “filtragem” do pó de tijolo. A quadra contém também duas áreas cobertas para a espera para as trocas nos famosos “contras” que costumam ferver nos finais de semana. Segundo um funcionário, os horários cheios são geralmente os finais de semana pela a manhã, e os melhores horários para se bater uma bolinha são nas tardes desses mesmos dias.

É importante atentar que apesar do parque ser bem arborizado as áreas das quadras não oferece uma disponibilidade de sombras naturais, mas para isso é só levar um boné para minimizar os efeitos do calor.

A conclusão que eu chego dessa quadra de saibro, é que é uma quadra boa para se jogar, rede bem nivelada, e de agradável área de espera.

AVALIAÇÃO GERAL

SUPERFÍCIE: Saibro

QUALIDADE DO PISO: 3 (Avaliação prejudicada por chuva na noite anterior)

MARCAÇÃO: 2 (Deixa um pouco a desejar, necessita de troca)

ÁREA DE ESCAPE: 3 (Poderia ser melhor a não ser por uma mesa de concreto localizada no interior da quadra o que prejudica a segurança)

ÁREA DE ESPERA: 4 (Muito boa com algumas áreas de sombra e disponibilidade de água gelada )

MANUTENÇÃO: 3 (Há funcionários específicos que fazem o nivelamento em períodos regulares )

PRÓS: Nivelamento, disponibilidade após períodos de chuva, e boa área de espera.

CONTRAS: Falta de sombras em determinados locais, área de escape ao fundo com muito mato.

CONCEITO GERAL: 3

dsc00111

Bebedouro

Bebedouro

dsc00261

dsc00231

QUADRA ALSFÁLTICA  ( QUADRA 2)

A uma primeira vista desta quadra encontramos uma quadro de uma  falta de manutenção por parte do Centro Esportivo no que diz respeito ao piso da quadra que encontra-se com diversas imperfeições, estas que por sua vez podem ocasionar lesões graves como torção de tornozelos e/ou joelhos além de quedas por parte dos jogadores, devido ao constante deslocamento curto e veloz que o esporte exige.

A quadra não possuí área de espera para demais jogadores, mas em contrapartida as suas áreas de escape são muito grandes e não apresentam obstáculos para os deslocamentos.

A conclusão que fica nesse post é que não é recomendada a prática de tênis nessa quadra devido as imperfeições muito salientes principalmente nas áreas de escape e na área de voleio (o “T) que pode ocasionar lesões sérias tanto ligamentares, quando ortopédicas.

AVALIAÇÃO GERAL

SUPERFÍCIE:Asfáltica

QUALIDADE DO PISO: 1(Diversas imperfeições que apresentam grande potencial para ocorrência de lesões)

MARCAÇÃO: 2(Necessita junto com a reforma do piso uma nova pintura)

ÁREA DE ESCAPE: 4 (Muito espaçosa, tanto para a área de fundo de quadra quanto para as laterais)

ÁREA DE ESPERA: 1(Possuí assentos tímidos e é junto com o banco de espectadores, ou seja, chegou depois da platéia vai ficar em pé )

MANUTENÇÃO: 1(O piso foi fator determinante, pois não há um sistema de correção de imperfeições )

PRÓS: Ótima área de escape, secagem rápida após periodos de chuva.

CONTRAS: Piso com muitas imperfeições, não é recomendada a prática.

CONCEITO GERAL: 1

dsc00021

dsc00062

dsc00041

dsc00051

dsc00101

dsc00141

Em uma rápida análise (falando como cidadão Lapeano ) é fácil encontrar os motivos para uma falta de investimentos (principalmente na quadra rápida) por parte da administração; e esse motivo principal foi a criação das quadras no Parque Villa Lobos (estas que por sua vez vem atender estratégicamente o perfil do jovem profissional morador de área de alto padrão da zona oeste) que além de não ficar na administração da Subprefeitura Lapa (o que acarretaria em um aumento de recursos para uma administração equitativa) ocasionou o êxodo dos tenistas daquela área em troca de quadras com uma qualidade superior. A título de informação, a Subprefeitura de Pinheiros que administra o Villa Lobos recebe além de recursos da Subprefeitura, o incentivo financeiro de empresas para manutenção de suas quadras (que atrás da publicidade para o perfil do jogador de tênis especificado anteriormente), uma prova disse é que mês de janeiro é disputado o SPOpen (Aberto de São Paulo) no parque com a participação de diversos parceiros. Soma-se a isso um êxodo dos moradores lapeanos ao parque (preferindo como opção o Villa Lobos) é muito difícil para a administração angariar recursos para investimentos no Centro Esportivo.

Centro Educacional e Esportivo Edson
Arantes do Nascimento (Pelezão)

Rua Belmont 957 – Lapa
Telefone: 3834-0032
Estacionamento grátis e sem seguro

Hoje tem início aqui no Esporte Social a série “Quadras de São Paulo” que fará um raio X nas quadras de tênis públicas de São Paulo em todos os seus aspectos, sejam eles positivos /ou negativos em uma abordagem simples, mas de extrema utilidade aos cidadãos dessa megalópole.

O ES vai aborbar de maneira nua e crua as condições nas quais o tenista amador tem que conviver seja por falta de uma escola ou clube de tênis; seja por outros mais diversos motivos que vão desde recursos financeiros, disponibilidade de tempo ou mesmo distância só para citar alguns entraves para a prática dessa modalidade.

O desafio principal do site é localizar TODAS as quadras públicas de São Paulo e disponibilizar essa informação de maneira organizada e real, com isso, incentivando a prática desse ótimo esporte que sofre por diversos problemas desde políticos-culturais até por desinteresse dos profissionais do ensino da modalidade.